O grupo

Na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), Cremilda Medina é orientadora na pós-graduação no âmbito do Programa em Ciências da Comunicação (PPGCOM) e do Programa de Integração da América Latina (Prolam). Desde 1986 até hoje, a jornalista e professora junta-se a estudantes de graduação e pós-graduação para desenvolver pesquisas em torno do Diálogo Social.

Dessa forma, o grupo de pesquisa Epistemologia do Diálogo Social é proveniente desses encontros e dedica-se à reflexão e à prática da dialogia nas sociedades democráticas contemporâneas. Principalmente, em relação ao papel do mediador-autor, aquele que colhe e articula os sentidos coletivos, que se reporta aos acontecimentos do presente.

Ao acompanhar as capacidades éticas, técnicas e estéticas dos mediadores-autores (comunicadores sociais, cientistas e educadores), as pesquisas lideradas por Cremilda Medina, há cinco décadas, com uma perspectiva inter e transdisciplinar, atravessam a profissionalização e os rumos do Jornalismo; os desafios paradigmáticos da relação Ciência e Sociedade; e a prática das narrativas da contemporaneidade, como Medina denomina a reportagem.

 

Linhas de pesquisa:

Signo da Relação e Diálogo Social
Nesta linha, debate-se como a autoria se sobressai à divulgação de conteúdo. Em outras palavras, como a autoria relacional e articuladora de conteúdos plurais (polissemia) e da regência de vozes conflitivas (polifonia) transforma e efetiva a comunicação. As pesquisas aqui articuladas são demarcadas pelo estudo da permeabilidade ao outro e outras inovações necessárias à construção de um cosmo de sentidos teóricos-empíricos; bem como pela Pedagogia do Diálogo, o conjunto de propostas de inspiração para as relações: educador-educando / jornalista-protagonista social.

 

Saber Plural e a Crise de Paradigmas
Fruto de seminários, encontros e ensaios multidisciplinares, a linha centra-se em torno de transformações necessárias à mente aberta, complexa, sensibilizada pelos cinco sentidos, capaz de viajar na interação criativa da experiência social: a relação sujeito-sujeito, a intercausalidade, a pluralidade complexa de ideias, a contextualização cultural, a compreensão de processos, a dinâmica das incertezas e a busca das verdades em conflito são noções trabalhadas pelos pesquisadores. Projeta-se ainda uma proposta metodológica para as Ciências da Comunicação: a observação-experiência, a observação que está alinhada ao contato direto com a realidade, por meio da reportagem, e indireto por meio da leitura dos saberes científico, cotidiano/local e das expressões artísticas.